Ciclo de Humanidades 2021. E a vida, o que é? Um diálogo entre mitologia, filosofia e ciência

Proposta

“Lembra-te que tu és vivo” (Edgar Morin)

Gonzaguinha nos interpelava em seu famoso samba: “e a vida o que é? Diga lá, meu irmão…”. A pergunta sobre o que é a vida converge todos os saberes e quereres, pois sua resposta diz respeito ao que somos nós, qual nosso lugar no cosmos, com quem convivemos e qual o sentido da existência. No nosso primeiro encontro, faremos uma reflexão coletiva sobre o que é a vida, a partir de um olhar cruzado entre as ciências naturais, a filosofia, as ciências humanas e mitologia. Compomos uma mesa com Antonio Nobre (INPE), Caio Souto (IFAM / Conversações Filosóficas) e Rita Codá (professora de grego, professora aposentada do Pedro II e membro da Academia Luso-brasileira de Letras). Teremos ainda uma entrevista com o filósofo francês Frédéric Worms, conceituado especialista em Henri Bergson e investigador sobre filosofia da vida e humanismo vital.

Desenvolvimento

Nossa realidade se mostra cada vez mais complexa, com problemas que se enredam uns nos outros num tecido rico, longo e intrincado. Na medida em que isso acontece, tomamos consciência do quanto estávamos habituados a fragmentar nosso pensamento e a violentar os meios e formas de vida. Ainda que sejamos seres vivos, persistimos em nos conceber como separados da vida em comum, reivindicando um estatuto de superioridade, ou mesmo de exclusividade, em relação aos demais seres.

Todavia, as coisas estão a se mover e os alicerces desta crença perderam o seu amparo. A crise ecológica torna aguda a relação entre a sobrevivência humana e o destino comum de todos os seres da Terra; o Antropoceno nos sensibiliza para nosso pertencimento terrestre e presença em circuitos ativos entre múltiplas potências vivas; e a atual pandemia (causada por um ser limiar que desafia a própria definição do que é um ser vivo, o vírus) traz a todos o risco à vida e a consciência da finitude individual e coletiva. Desta forma, somos conduzidos não apenas à consciência de que a morte é um destino pelo qual damos contornos ao nosso existir, como também à percepção de que é necessário recompor os meios e os terrenos de vida em comum. Para além da tentação sempre presente de um darwinismo social, descobrimos, com as ciências da natureza, a ecologia e os saberes de povos ancestrais, que a vida é muito mais do que uma mera luta egoísta e generalizada pela sobrevivência e pela seleção, uma vez que é permeada por complexas relações de associações, cooperações e simbioses.

Abrindo o Ciclo de Humanidades 2021, que terá por tema transversal “Recompor os fios da vida”, o nosso primeiro encontro se dedicará a refletir sobre o que é a vida em um diálogo entre filosofia, ciência e mitologia. Para tanto, compomos uma mesa com a presença de Antonio Nobre (INPE), Caio Souto (IFAM / Conversações Filosóficas) e Rita Codá. Teremos ainda uma entrevista com o filósofo francês Frédéric Worms, conceituado especialista em Henri Bergson e investigador sobre filosofia da vida e humanismo vital.

Evento gratuito

Quando?

29 de abril (quinta-feira)

Que horas?

de 19 às 21h

Participantes

Onde?

Sala disponível no Aplicativo Zoom para inscritos que queiram interagir com palestrantes e receber certificados. Inscrição obrigatória.

Streaming no Youtube para todos no link abaixo

O que é o Ciclo de Humanidades?

O Ciclo de Humanidades: ideias e debates em filosofia e ciências sociais é realizado desde 2019 pelo Ateliê de Humanidades & o Consulado da França no Rio de Janeiro/BiblioMaison. Após a realização de um total de 18 encontros com distintos temas (10 em 2019 e 8 em 2020) e de 6 entrevistas com autores francófonos (Serge Paugam, Jean-Louis Laville, Françoise Vergès, Jean-Yves Camus, François Dubet e Pierre Lévy), chegamos agora em 2021, quando realizaremos no mínimo 8 encontros e 6 entrevistas.

Em 2021 temos três novidades: teremos um tema transversal a ser desdobrado ao longo do ano; vamos ampliar o diálogo entre as humanidades e as ciências da natureza e da vida; e aumentaremos a presença de formas não-europeias de pensamento, cultura e civilização, com atenção especial aos saberes ancestrais (de matriz ameríndia e africana) e às filosofias africana, latinoamericana, das Antilhas e do Caribe.

Ciclo de Humanidades 2020

Conheça e comece a assistir a toda a programação
do Ciclo de Humanidades 2020

Entrevistados do Ciclo de Humanidades 2020

Deixe uma resposta

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: