Livre-pesquisadores plenos

Os Livre-pesquisadores plenos são aqueles que possuem plena formação, integrando o Corpo do Ateliê com ampla liberdade para dar tutoria de livre-formação e pesquisa, organizar grupos de estudos, lecionar cursos livres, fazer palestras e atividades culturais, coordenar atividades de pesquisa e empreender projetos inovadores.

André Magnelli

É idealizador, realizador e diretor da instituição de livre estudo, pesquisa, escrita e formação Ateliê de Humanidades (ateliedehumanidades.com). 
Sociólogo, professor, editor e empreendedor público. É co-coordenador do Ateliê de Humanidades Editorial, do Cadernos do Ateliê e do podcast República de Ideias. É editor da tribuna Fios do Tempo: análises do  presente. É curador e co-organizador do “Ciclo de Humanidades: ideias e debates em filosofia e ciências sociais”, realizado mensalmente pelo Ateliê de Humanidades e o Consulado da França desde 2019.

Foi professor adjunto da Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro, onde lecionou na graduação e nas pós-graduações de Filosofia Moderna e Contemporânea, de Ciências da Religião e de Filosofia & Literatura. Foi professor assistente do departamento de sociologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Tem graduação, com grau summa cum laude, em ciências sociais pelo IFCS-UFRJ, mestrado (2009-2010) e doutorado (2011-2015) pelo IESP-UERJ. É pesquisador associado do núcleo de pesquisa em teoria social e sociológica SOCIOFILO, do IESP-UERJ, liderado por Frédéric Vandenberghe, onde foi assistente de pesquisa entre 2010-2013. Publicou periodicamente no Jornal do Brasil (JB) e foi membro organizador e editor do antigo Blog do Sociofilo. Publicou os seguintes livros: Durkheim, apesar do século: novas interpretações entre filosofia e socicologia (Annablume, 2018), Uma democracia (in)acabada: quadros e bordas da soberania do povo com Pierre Rosanvallon (Ateliê de Humanidades Editorial, 2019), Cartografias da crítica (Ateliê de Humanidades, 2019) e Sociologia das tecnociências contemporâneas (Ateliê de Humanidades Editorial, 2020). Pesquisa na interface de teoria social, tecnociências & sociedade, sociologia histórica do político, teoria antropológica, ética, filosofia política e retórica.

Alberto Luis Cordeiro de Farias

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) onde foi bolsista pelo Programa de Educação Tutorial de Ciências Sociais da UFPE, MEC, SESu por sete períodos consecutivos. Atualmente, dedica-se ao Doutorado em Sociologia do IESP-UERJ, onde defendeu mestrado em 2016, e compõe o grupo de pesquisas Sociofilo. Seus interesses de estudo e pesquisa se concentram nas sub-áreas de Teoria Social e Filosofia das Ciências Sociais. Desenvolve pesquisas na intersecção da sociologia com a filosofia, tendo experiência com as seguintes especialidades: teoria sociológica clássica, pensamento social alemão e fundamentos filosóficos da teoria social, com ênfase nos seguintes temas: sociogênese da sociologia, sociologia crítica dos conceitos, sociologia filosófica, marxismo sociológico e teoria crítica alemã.

Ajudo a construir o Ateliê de Humanidades.Sou coordenador do Ateliê de Humanidades Editorial e co-animo as seguintes linhas ou planos de convergência: sobre (teoria) crítica contemporânea (Cartografias da Crítica: Fundamentos, Potencialidades e Limites), em colaboração com outros núcleos de pesquisa; sobre política, sociedade e cultura no Brasil (Brasiliando: política, sociedade e cultura); sobre humanismo, educação e formação humana (Entre Humanismo e Pragmatismo: artesanato, educação, cultura e trabalho no século XXI); sobre ficções e utopias políticas (Dis(U)Topias: crítica, crise e ficções além de nosso tempo); sobre capitalismo e sociologia das organizações (Transformações do Capitalismo e Mudanças Organizacionais); e sobre técnica e sociedade no século XXI (Tecnociências & Sociedade).

Jayme Gomes Neto

Sou graduado em Ciências Sociais e mestre em Sociologia, ambos pela Universidade de São Paulo (USP). Em minha dissertação trabalhei a relação entre a filosofia kantiana e a chamada escola sociológica francesa, no que se destaca a obra de Émile Durkheim. Sou atualmente doutorando pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e pesquisador do Centro Brasileiro de Estudos Durkheimianos. Realizo atualmente uma pesquisa que versa em torno dos desdobramento da teoria sociológica durkheimiana nas obras de autores como Claude Lévi-Strauss, Talcott Parsons, Erving Goffman, e outros.

Meus interesses de estudo e pesquisa, nos últimos anos, tem se direcionado principalmente às áreas de teoria social e da filosofia. No ateliê de humanidades, busco aperfeiçoar minha formação por meio da pesquisa e do intercâmbio intelectual. Mais especificamente, minha inserção se dá por meio da atuação − em alguns casos de maneira mais direta e em outros de forma mais lateral − nos seguintes planos de convergência: Entre Humanismo, Pragmatismo e Complexidade; Cartografias da Crítica; A Revolução do Dom; (Re)Pensando a Secularização.

Marcos Lacerda

Possui graduação em Ciências Sociais pelo IFCS-UFRJ (2005-2009), mestrado em Sociologia e Antropologia pelo PPGSA/IFCS-UFRJ (2009-2011) e Doutorado em Sociologia pelo IESP/UERJ (2011-2015). Foi Diretor do Centro da Música da Funarte / Ministério da Cultura, responsável pelas políticas públicas para a música no Brasil, entre maio de 2015 e março de 2017. Faz parte do laboratório de pesquisa Sociofilo (IESP/UERJ), sob coordenação geral do Frédéric Vandenberghe, e atua na coordenação e curadoria da coleção Caderno Ultramares, da OCA Editorial de Portugal, ao lado do crítico e editor Sérgio Cohn.

Autor de “A sociedade das tecnociências: Introdução à obra de Hermínio Martins” (Ateliê de Humanidades, 2020) e organizador, com André mangelli, de “Sociologia das tecnociências contemporâneas” (Ateliê de Humanidades, 2020). Pós-doutorando em sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pelotas (PPGS/Ufpel), como bolsista CAPES, com o projeto de pesquisa “Sociologia em tempos de mutação: Sociedade informacional, tecnociências e biopolítica”.

Lindoberg Campos

Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Mestre em Literatura Portuguesa pela UERJ. Possui graduação em Letras pela Universidade Veiga de Almeida (2011). Pós graduado (lato sensu) em Filosofia Moderna e Contemporânea pela Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro (2012) e Língua Latina (UERJ-2014). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Portuguesa, sobretudo a do século XX e que se relacionem à temática do sebastianismo. Tem interesse em pesquisas que relacionem Filosofia e Literatura, com especial enfoque à temática Teopoética; bem como as relações entre Religião e Sociedade.

É membro da Associação Latino-Americana de Literatura e Teologia (ALALITE). Ex-diretor do Instituto Serra do Rodeador. É professor da Rede Municipal do Rio de Janeiro onde atua e executa projetos que integram as diversas disciplinas com ênfase na relação entre história e literatura. Publica no Fios do tempo do Ateliê de Humanidades e colaborou com o Jornal do Brasil escrevendo de artigos de cunho crítico e histórico. Fundador-proprietário da marca Rodeador Cultural.

Lucas Faial Soneghet

É Doutorando em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA/IFCS/UFRJ) e membro do Núcleo de Pesquisa SOCIOFILO. Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Desenvolve pesquisa sobre das formas de modelagem do sujeito em contextos de cuidado de fim de vida. A pesquisa em andamento tem como temas: subjetividade, modelagem do self, cuidado de si e dos outros, corporalidade e o morrer. Atua como livre-pesquisador do Ateliê de Humanidades e é colaborador no Ateliê de Humanidades Editorial.

Rita Gonçalo

Possui graduação em Ciências Sociais pelo Universidade Candido Mendes (2007-2012) e mestrado em Comunicação Social pela PUC-Rio (2014-2016). É Doutoranda do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional – IPPUR/UFRJ. Atualmente é professora de afro-migrantes da MAWON – Negócio de Impacto para Migrantes, Consultora e Sócia-Proprietária da RAlves Educação Sociocultural e Ambiental, Pesquisadora colaboradora do Laboratório Estado, Sociedade, Tecnologia e Espaço – LabEspaço/IPPUR-UFRJ e revisora de periódicos na área de ciências sociais.

Thiago Pacheco

Doutor em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Graduado em História pela Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro (2006) com especialização em Ciências da Religião pela Faculdade do Mosteiro de São Bento. Atua desde 2006 em instituições religiosas de ensino, e desde 2011 leciona para cursos de graduação e pós-graduação nos campos da História do Antigo Israel, Antigo Testamento e Ciências da Religião. Entre 2012 e 2014 trabalhou com a produção de textos na área de História, voltada para a atualização de professores da Rede Estadual através do projeto de formação continuada SEEDUC. Desde o mestrado tem se dedicado aos estudos sobre agentes de Segurança e Inteligência. Em 2014 integrou, como bolsista FAPERJ, o grupo de pesquisa Justiça Autoritária, ligado ao Laboratório de Direitos Humanos da Faculdade Nacional de Direito – UFRJ (LADIH). No estágio pós-doutoral, integrou seus estudos aos campos da História do Direito e da Criminologia.

Wellington Freitas

É formado em Comunicação Social, bacharel em Teologia com Licenciatura em Filosofia. Especialista em Ciências da Religião. Também fundador do projeto ESTECI – Escola Cristã de Teologia e Ciências da Religião, voltado para a oferta gratuita de Formação Livre em Teologia; Alfabetização para Jovem e Adulto; Curso de Inglês e Espanhol. A ESTECI é organizada entre a garagem e a varanda da casa dele – num bairro empobrecido de Nova Iguaçu – e conta com profissionais voluntários.

Nelson Lellis

É bolsista CAPES no Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política pela UENF (doutorado em andamento); mestre em Ciências das Religiões, especialista em Ensino Religioso e Teólogo pela FUV. Membro do Grupo de Pesquisas CRELIG (Dinâmicas Territoriais, Cultura e Religião). Colabora periodicamente com artigos e análises do presente no Fios do Tempo.

Pesquisadores parceiros

Parceiros nacionais

Paulo Henrique Martins

Professor titular de sociologia da Universidade Federal de Pernambuco, ex-presidente da Associação Latino-Americana de Sociologia. Autor dos livros: Itinerários do dom: teoria e sentimento (Ateliê de Humanidades Editorial, 2019) e Teoria Crítica da Colonialidade (Ateliê de Humanidades Editorial, 2019). Bolsista de Produtividade 1B do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Foi Vice-Presidente da Associação Movimento Anti-Utilitarista nas Ciências Sociais (MAUSS) (2009-2012). Na sua atividade intelectual busca articular de forma interdisciplinar os estudos sobre a dádiva, buscando dialógo permanente com a antropologia, com a política e com a psicologia; seus estudos em Teoria Social, Sociologia da Saúde e Sociologia do Poder revelam frequentemente os seguintes indicadores: dádiva, cidadania, democracia, solidariedade, políticas públicas, redes sociais, saúde e cultura.

Felipe Maia

Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Membro do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFJF. Doutor em Sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP – UERJ) (2014), com pós-doutorado no CPDOC – FGV (2015). É co-coordenador do grupo de pesquisa Cartografias da crítica: entre crise, crítica e reconstruição e co-coordenador editorial da coleção Cartografias da Crítica do Ateliê de Humanidades Editorial. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2007) e mestrado em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (2009). Tem experiência na área de Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: questão agrária, modernização, intelectuais, fronteira e pensamento social brasileiro.

Genauto Carvalho de França Filho

Professor titular da Universidade Federal da Bahia, pesquisador CNPq (DT-II), coordenador do Núcleo de Pós-graduação em Administração (NPGA/UFBA) e da Incubadora Tecnológica de Economia Solidária e Gestão do Desenvolvimento Territorial (ITES/UFBA). Suas pesquisas se situam no campo dos estudos organizacionais, da gestão social e do desenvolvimento territorial, com destaque para os seguintes temas: economia solidária, associativismo e cooperativismo, finanças solidárias e moedas sociais, economia popular, inovação social e novas formas de solidariedade. É autor, com Philippe Eynaud, de Solidariedade e organizações: pensar uma outra gestão (Editora da UFBA / Ateliê de Humanidades Editorial)

Carlos Eduardo Sell

Pós-doutor pela Universidade de Heidelberg (Ruprechts-Karl Universität), Alemanha (2010/2011). Atualmente é professor do Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. Possui graduação em Filosofia, realizada na Fundação Educacional de Brusque. É Mestre e Doutor em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC. Tem experiência na área de Sociologia, voltando-se prioritariamente para os temas da Teoria Sociológica. Neste momento, desenvolve pesquisa sobre o pensamento de Max Weber, discutindo os temas da racionalidade e do racionalismo, com ênfase em sua sociologia da religião e em sua sociologia política. Entre 2013 e 2016 atuou como Coordenador do GT de Teoria Social da ANPOCS (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais) e, desde 2013, exerce a função de Coordenador do GT de Teoria Sociológica da SBS (Sociedade Brasileira de Sociologia), cuja Diretoria integra na mandato 2015-2017.. Membro do Núcleo de Pesquisa Sociofilo (IESP/RJ) e do SOCITEC (Sociedade Ciência e Técnica). Publicou, pela Editora Vozes, o livro Max Weber e a racionalização da vida, premiado pela ANPOCS como melhor obra científica de 2017, presidente do Comitê do 19o CONGRESSO de Sociologia da SBS (Sociedade Brasileira de Sociologia), de 2019 (Florianópolis-SC). 

Danielle Araújo

É antropóloga e docente da Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA. Tem doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e mestrado em Antropologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Tenho desenvolvido pesquisas sobre Cultura Material, Patrimônio e Imagem na América Latina, tendo pesquisado a cerâmica de Pucará nos Andes Peruanos. É autora do livro Cultura Material & Cosmovisão Andina: a cerâmica Pucará, pelo Ateliê de Humanidades Editorial (2021, no prelo)

Alyne Costa

Possui graduação em Comunicação Social (habilitação Relações Públicas) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2005), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2014) e doutorado em Filosofia também pela PUC-Rio (2019). Sua pesquisa se concentra na área de Filosofia e a Questão Ambiental, com ênfase no Antropoceno e na catástrofe ecológica global, considerando também as repercussões do tema na antropologia e na política. Foi bolsista do Programa de Doutorado-sanduíche no Exterior da Capes de abril de 2017 a janeiro de 2018, período em que esteve vinculada à Universidade Paris Nanterre. Foi bolsista Nota Dez da FAPERJ (2016-2018). Tem experiência também nas áreas de comunicação social, responsabilidade social e sustentabilidade. Atualmente, é pós-doutoranda do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, com pesquisa sobre mudanças climáticas, negacionismo climático e seu enfrentamento no Brasil, e é professora horista de filosofia na PUC-Rio. Também é membro e colaboradora administrativa da Rede Brasileira de Mulheres Filósofas (https://www.filosofas.org/). Sua tese foi a vencedora do Prêmio Capes de Tese 2020 na área de Filosofia.

Elimar Pinheiro do Nascimento

Sociólogo, com doutorado pela Universite de Paris V (Rene Descartes, 1982), e pós-doutorado na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales. Professor associado dos Programas de Pós-Graduação do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília e do Programa Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pesquisador associado no Centro de Desenvolvimento Sustentável (CDS/UnB) . Foi professor nas Universidades de Maputo (Moçambique), Federal da Paraíba e Federal de Pernambuco, Universidade Católica do Equador e Faculdade de Psicologia da Universidade da República, Uruguai. Participou dos governos de Miguel Arraes (PE) e Cristovam Buarque (DF). Trabalhou em Moçambique no governo Samora Machel. É membro do conselho científico do IIRPC. Tem experiência em pesquisa, gestão e planejamento. Pesquisa e publica, principalmente, sobre os seguintes temas: conflitos sociais e ambientais, sustentabilidade, interdisciplinaridade e turismo. É coordenador do Laboratório de Estudos sobre o Turismo Sustentável (LETS)

Ricardo Jardim Andrade

é Professor Titular aposentado do Departamento de Filosofia do IFCS/ UFRJ. Doutor em Filosofia pela Universidade de Montpellier III. Pós-doutorado na Universidade Paris-Sorbonne (Paris IV), sob a supervisão do professor Alain Renaut. No mestrado, estuda as relações entre psicanálise e hermenêutica. Sua tese de Doutorado discute a questão do sujeito no estruturalismo linguístico e antropológico, à luz da fenomenologia de Edmund Husserl e da hermenêutica de Paul Ricoeur. Foi publicada na França, em 2000, pela editora ANRT, sob o título Le structuralisme et la question du sujet: la formation du champ sémiologique. No seu pós-doutorado, com o apoio de Sylvie Mesure, iniciou a implementação de uma pesquisa, cujo objetivo é revelar uma notável convergência metodológica e epistemológica entre as fontes do estruturalismo (F. de Saussure, R. Jakobson e Cl. Lévi-Strauss) e as fontes da hermenêutica (F.D.E. Schleiermacher e W. Dilthey). Grande parte dos seus artigos, capítulos de livros e comunicações em congressos nacionais e internacionais tratam de temas ligados à epistemologia das ciências humanas e à fenomenologia existencial e hermenêutica. Ele foi chefe do Departamento de Filosofia da UFRJ de 2006/01 a 2009/11 (duas gestões) e, desde 2015, é membro titular da Academia Fides et Ratio.

Fábio Costa

Possui graduação, mestrado e doutorado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Mestrado e doutorado em Filosofia das Ciências e Teoria do Conhecimento. Realizou pesquisas em história das ciências, filosofia da física, metafísica, ontologia.Igualmente atua com temas relacionados a filosofias das religiões. Seus interesses também se voltam particularmente para antropologia filosófica e história das teorias antropológicas. 

Thiago Panica Pontes

Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Seu mestrado em Sociologia foi realizado no Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ). Prosseguindo sob a orientação de Frédéric Vandenberghe, concluiu em 2015 o doutorado no Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ (IESP-UERJ, antigo IUPERJ), com estadia na École Normale Supérieure (ENS-Lyon) sob tutela de Bernard Lahire, de quem foi por diversos anos assistente de pesquisa em suas passagens pelo Brasil. Posteriormente, desenvolveu suas atividades de pesquisa e ensino enquanto bolsista de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), sob supervisão de Cynthia Hamlin. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), além de integrante do Núcleo Sociofilo, da UFRJ. Suas principais áreas de atuação são: sociologia geral e seus fundamentos epistemológicos, classes sociais, sociologia do indivíduo e da experiência com ênfase em sua multideterminação existencial.

Elias Sampaio

Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Católica do Salvador (1989), Mestre em Economia pela Universidade Federal da Bahia (1996) e Doutor em Administração ( Instituições e Políticas Públicas) pela Universidade Federal da Bahia (2003). Atualmente é Economista Classe Especial do Ministério da Economia, exercendo suas funções na Superintendência do Patrimônio da União na Bahia. Pesquisador em Pós-Doutoramento em Administração pelo NPGA/EAUFBA. Autor do Livro Dialogando com Celso Furtado (2019) e Política, Economia e Questões Raciais – A Conjuntura e os Pontos Fora da Curva, 2014-2016 (2017) . Foi Visiting Scholar no Departamento de Planejamento Urbano da Luskin Escola de Negócios Públicos da UCLA – EUA (março/junho de 2020). Professor Colaborador do Programa de Gestão das Organizações (PGO) da UNEB. Alumni do Programa de Educação e Cultura do Departamento de Estado dos EUA. Secretário da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI) do Governo do Estado da Bahia (2011/2014), Diretor Presidente Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia – Prodeb (2008/2011), Vice-Presidente de Tecnologia da Associação Brasileira de Entidades de Tecnologia de Informação e Comunicação (ABEP) 2010/2011, professor visitante do Mestrado em Politicas Públicas, Gestão do Conhecimento e Desenvolvimento Regional da UNEB e colaborador do Núcleo de Pós-Graduação em Administração da UFBA (NPGA). Professor, Coordenador do Curso de Ciências Econômicas e de Pesquisa e Pós-Graduação do Instituto de Educação Superior Unyahna de Salvador (1999/2006). Professor das Faculdades Integradas Unime. Tem experiência na área de Economia e Administração Pública, com ênfase em Teoria Econômica e Políticas Públicas, atuando principalmente nos seguintes temas: Macroeconomia, Desenvolvimento Regional, Regulação Macroeconômica e instituições

Lucia Arruda

Doutora em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005), mestra em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1992) e graduada em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro com bacharelado e licenciatura (1982). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética, atuando principalmente nos seguintes temas: imperativos da moral, dever agir, razão prática, alteridade, o conceito de pessoa, heteronomia e autonomia, sujeito moral, transvaloração, entre outros, todos muito caros às questões da moralidade. Ampla experiência em cursos de pós-graduação lato sensu, não só na área de Filosofia como em outras, sempre no percurso da ética, da moral e da bioética. É autora de diversos projetos na área de educação, especialmente em Filosofia. Foi Coordenadora do Programa de Pós-graduação Lato Sensu da Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro.

Emmanuel Rapizo Caldas

Doutorando em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atualmente trabalha como especialista em políticas públicas e gestão governamental do estado do Rio de Janeiro. Exerce a função no Instituto de Segurança Pública (ISP). Mestre em Sociologia com concentração em Antropologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Eduardo Regis

É bacharel em Ciências Biológicas (UFRJ/2005), Mestre em Microbiologia (UFRJ/2007), Doutor em Biologia Celular e Molecular (FIOCRUZ/2012) e especialista em Ciências da Religião (FSB-RJ/2020). Ele é um dos coordenadores do Grupo de Estudos de Espiritualidade Haitiana (GEDEH) em parceria com o Instituto Pretos Novos e com o site “Espelho de Circe”. Está interessado nos estudos sobre esoterismo e religiosidade, especialmente espiritualidades de matriz Africana.

Thiago Cabrera

Professor Adjunto do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e do Curso de Filosofia da Universidade Católica de Petrópolis. Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com estadia de pesquisa na Universität Heidelberg, mestre e bacharel em Filosofia pela UFRJ e graduado em Comunicação Social/Cinema pela Universidade Federal Fluminense, pesquisa principalmente os seguintes temas: Filosofia da Tecnologia, Educação Estética, Filosofia Pragmática da Linguagem, Hermenêutica Filosófica, Fenomenologia, Teoria do Cinema e Idealismo Alemão

Rita Codá

Rita Codá é doutora (PhD) em Literatura Comparada (Língua e Literatura Gregas) pela Universidade Federal de Minas Gerias (UFMG); mestra em Literatura Brasileira e Língua Grega Professora Universitária. Professora Aposentada do Colégio Pedro II (IFTTEC) e membro da Academia Luso-Brasileira de Letras (Cadeira n°. 38).

Parceiros internacionais

Adrian Scribano

É Doutor pela Universidade de Buenos Aires. Faculdade de Filosofia (2002) e Graduado em Ciências do Desenvolvimento, com Especialização em Sociologia Política (ILADES, Santiago do Chile). Atualmente é Diretor do Centro de Pesquisas e Estudos Sociológicos (CIES estudiosociologicos.org) e Pesquisador Principal do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas da Argentina. É também Diretor da Revista LatinoAmericana de Estudos sobre Corpos, Emoções e Sociedade e do Grupo de Estudos em Sociologia das Emoções e Corpos do Instituto de Pesquisa Gino Germani da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires. Ele também atua como Coordenador do Grupo de Trabalho sobre Corpos e Emoções da Associação Latino-Americana de Sociologia (ALAS) e como Vice-Presidente do Grupo Temático Sociedade e Emoções da International Sociological Association.

Alain Caillé

Professor Emérito de Sociologia na Universidade de Paris Ouest Nanterre La Défense. Aí estava encarregado da especialidade do Mestrado em Ciências Sociais e Sociologia: Sociedade, Economia e Política. Membro da direção da escola de doutoramento em Economia, Organizações e Sociedade, foi também co-director e co-fundador do SOPHIAPOL (ex-GEODE), Laboratório de Sociologia, Filosofia e Antropologia Política desta universidade. Dirigiu a Revue du MAUSS (Movimento Anti-utilitário em Ciências Sociais) desde a sua fundação. Esta revista multidisciplinar e internacional é distribuída em muitos países. É acompanhada por uma revista online, a Revue du Mauss, que é de livre acesso e amplamente lida, especialmente por estudantes. Ao mesmo tempo, co-dirige a Bibliothèque du Mauss, que publicou cerca de 50 títulos em La Découverte e cerca de 20 nas Éditions Le Bord de l’Eau.

Daniel Chernilo

Professor titular da Escola de Governo da Universidade Adolfo Ibañez, Chile. Diretor do doutorado em Processos e instituições políticas. Pesquisa pensamento social e político no sentido amplo, com uma escrita que envolve toda uma série de teóricos desde Hobbes até Luhmann via Simmel, Karl Löwith e Jürgen Habermas. Está interessado nas relações entre direito natural e teoria social, nacionalismo e cosmopolitismo, o problema do universalismo na normatividade moderna. Seu atual programa de investigação centra-se na ideia da Sociologia Filosófica, que procura investigar as relações entre as concepções explícitas das ideias sociais e implícitas da natureza humana nas ciências sociais. É isto que explora em Debating Humanity. Towards a philosophical sociology que analisa as formas como tanto os sociólogos contemporâneos (por exemplo Margaret Archer, Talcott Parsons, Luc Boltanski) como os filósofos (Hannah Arendt, Charles Taylor, Hans Joas) interpretam os seus argumentos sobre as características antropológicas fundamentais que nos tornam humanos.

Gennaro Iorio

É Professor e Diretor do Departamento de Estudos Políticos e Sociais da Universidade de Salerno, Itália, e membro-líder da rede de pesquisadores Social-One – Social Sciences in dialogue. Investiga o amor por uma perspectiva sociológica, em especial o amor em sua forma agápica. Autor do livro Sociologia do amor: ágape na vida social (Ateliê de Humanidades Editorial, 2021). E-mail: iorio@unisa.it

Gabriel Restrepo

Sociólogo e professor associado da Universidade Nacional, agora aposentado. Vive há cinco anos nos arredores da periferia da Colômbia, no Departamento de Arauca, fronteira com a Venezuela. É actualmente o vice-presidente ad honorem do recentemente criado Alter Forum Institute of Sahara Studies, Al Andalous. Publicou mais de 40 livros e 140 ensaios em ciências sociais e literatura. É o autor de uma Teoria Dramática e Tramatica das Sociedades, que tem vindo a desenvolver há muitas décadas. Ele tem doze livros de poesia. Tem vindo a manter diários desde 1963. E-mail: garestre@gmail.com.

Hernando Saenz Acosta

Doutoramento em Planeamento Urbano e Regional pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro IPPUR-UFRJ, Brasil. Mestrado em Planeamento e Administração do Desenvolvimento Regional pelo CIDER, Universidad de Los Andes, Colômbia. Economista da Universidade Nacional da Colômbia. Os seus interesses de investigação incluem a dinâmica da segregação sócio-espacial, os mercados fundiários e habitacionais e a mobilidade residencial.

Diana Patricia IriArte

Colombiana, Psicóloga, Mestre em Análise Experimental Comportamental, foi professora da Universidade Surcolombiana e pesquisadora no campo das ciências sociais. Ela recebeu uma Menção Honrosa da Faculdade de Educação da Universidade Surcolombiana por sua pesquisa em educação. Seus ensaios foram publicados em revistas nacionais e na imprensa local. Publicou “Salte de las cadenas a la libertad: Un recorrido del Medioevo a la Modernidad” .

Jaime Torres Guillen

É doutor em antropologia social e professor na Universidade de Guadalajara, México, diretor da revista Piezas, in Dialogue Philosophy and Human Sciences e membro do SNI Nível I. Editor da Colleción panfletos Vera Luddivan. Biógrafo de Pablo Gonzalez Casanova. Pesquisa a convivencialidade e as ferramentais conviviais, na esteira de Ivan Illich, e investiga as gramáticas do reconhecimento presentes nas ações dos atores sociais e dos movimentos coletivos.

José Luís Garcia

Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade de Lisboa e Investigador Principal no Instituto de Ciências Sociais da mesma Universidade. A sua carreira académica tem-no levado a lecionar, entre outras escolas, nos cursos de graduação ou pós-graduação em sociologia e comunicação do ISCTE-IUL (1990-2011), em comunicação e cultura da Universidade Católica Portuguesa (1994-1997), em jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, Instituto Politécnico de Lisboa (2011- 2013) e comunicação social e novos media na Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Coimbra (2015-2016; 2017-2018). É docente de teorias sociológicas clássicas no programa de doutoramento em Sociologia – OPENSOC; e de estudos sociais da ciência e tecnologia no Programa doutoral FCT em Filosofia da Ciência, Tecnologia, Arte e Sociedade. Integra, desde 2017, a direção da SPT – Society for Philosophy of Technology, com sede nos EUA. O livro Sociologia das tecnociências contemporâneas: ensaios de teoria social portuguesa, publicado pelo Ateliê de Humanidades Editorial com organização de Marcos Lacerda e André Magnelli, apresenta sua obra e os trabalhos do grupo de pesquisa por ele liderado no ICS da Universidade de Lisboa.

Silvia Cataldi

Professora do Departamento de Psicologia social e do desenvolvimento da Universidade de Roma LA SAPIENZA, Itália, e membro-líder da rede de pesquisadores Social-One – Social Sciences in dialogue. Publicou, dentre outros livros: (2016) Culture of Peace. The Social Dimension of Love. Paris: Harmattan. E-mail: silvia.cataldi@uniroma1.it