Concepções que precederam a noção de matéria (1939), Por Marcel Mauss

 “A História Antropológica de um Ponto de Vista Tecnológico” A Série, publicada em Fascículos pelos Cadernos do Ateliê, do Ateliê de Humanidades, tem o propósito de disponibilizar ao grande público ensaios de “antropologia das tecnologias”. Ela tem o intuito de publicar, principalmente, traduções de textos clássicos da história da antropologia (e de suas ciências irmãs, como a arqueologia e a etologia) que tenham assumido uma posição do “ponto de vista tecnológico”. Pretendemos trazer também ensaios contemporâneos que trabalham com uma abordagem antropológica das técnicas, dos objetos técnicos e das tecnologias. No segundo fascículo da série trazemos o artigo de Marcel Mauss, Concepções que precederam a noção de matéria (1939). Por: André Magnelli e Jayme Gomes Neto

Manifesto por uma Slow Science

Quando tudo parece necessário e inevitável, sempre surgem aqueles que nos lembram que somos, antes de tudo, seres capazes de agir e de (nos) renovar. Sempre que possível, o Ateliê fará circular, difundir e repercutir importantes manifestações culturais e intelectuais feitas em defesa do tempo próprio. De partida, trazemos uma tradução do importante Manifesto da Slow Science, publicado em 2010 pela Slow Science Academy, situada em Berlim, Alemanha.

No final deste primeiro ano de existência, chegou a hora de realizar a conexão da nossa rede de livre-pesquisadores, fazendo com que todos se conheçam como humanos, cidadãos e pesquisadores. No dia 08 de dezembro de 2018, das 9:30 às 18:00h, nos encontramos (presencial e virtualmente) na BiblioMaison, para dialogarmos em torno das agendas e dos resultados de pesquisa dos livre-pesquisadores do Ateliê, distribuindo-os por alguns dos nossos Planos de Convergência.

Site no WordPress.com.

Acima ↑