O Ateliê de Humanidades realizará o Ciclo de Humanidades: ideias e debates em filosofia e ciência sociais, a ocorrer mensalmente ao longo de 2019 na BiblioMaison (biblioteca do Consulado da França no Rio de Janeiro) como parte das Quintas da Maison. Em nosso Ciclo, buscaremos articular as reflexões críticas e os diagnóstico de crise com uma atitude propositiva, disposta a pensar as reformas possíveis de serem feitas e as metamorfoses generativas em curso.

Post Destacado

Pontos de leitura. A fome de amor e alegria – por Herman Hesse

Velha cantiga A celebração das grandes festas universais representa, para o cidadão comum de nossa época, a única concessão ao ideal. Festeja o Ano Novo, que lhe lembra a transitoriedade da vida, a rápida fuga do tempo, balançando a cabeça, se cético, ou suspirando, se sentimental. A Páscoa e Pentecostes celebra como festas da primavera... Continuar Lendo →

Podcast “República de ideias”. Temporada completa sobre democracia!

Na quinta-feira, 12 de setembro, o podcast República de Ideias publicou o último episódio da temporada "Uma democracia (in)acabada", dedicada ao livro “Uma democracia (in)acabada: quadros e bordas da soberania do povo com Pierre Rosanvallon”, publicado pelo Ateliê de Humanidades Editorial. Ao longo dos cinco episódios, Emmanuel Rapizo, Felipe Maia, Lindoberg Campos e André Magnelli... Continuar Lendo →

Podcast. Uma democracia (in)acabada: À prova dos populismos

Quinto e último episódio da temporada do República de Ideias sobre o Livro " Uma Democracia (in)acabada: quadros e bordas da soberania do povo com Pierre Rosanvallon", lançado pelo Ateliê de Humanidades Editorial. Com participação de Emmanuel Rapizo e André Magnelli, refletimos sobre os fenômenos populistas contemporâneos, tanto de esquerda quanto de direita: reconstruímos um... Continuar Lendo →

Fios do tempo. O poder do Neutro: ou como o Estado sabe encantar – por Aldo Tavares

Na saída das comemorações do dia da independência, publicamos hoje no Fios do tempo: análises do presente um artigo de Aldo Tavares sobre a força do patriotismo. Por que o nacionalismo pode ser marcante mesmo quando o Estado é ausente ou negativo na vida cotidiana dos indivíduos? Qual seu poder de sedução? Qual sua força... Continuar Lendo →

Fios do tempo. Meu coração é verde, amarelo, branco, azul-anil…e vermelho – por Lindoberg Campos

Neste dia comemorativo de 07 de setembro, o Fios do tempo: análises do presente publica um artigo de Lindoberg Campos, propondo uma reflexão sobre o que é esta "pátria amada, Brasil". Trazendo à tona as histórias esquecidas sobre as quais o país se construiu  e se constrói, Lindoberg propõe um sentido em ser patriota, para... Continuar Lendo →

Fios do tempo. Sobre os fios – por Elton Luiz Leite de Souza

O Fios do tempo: análises do presente publica, neste sábado, artigo de Elton Luiz Leite de Souza, que estreia como colaborador periódico de nossa tribuna. Com toda sua cultura filosófica e mitopoética, Elton Leite nos nodela em uma reflexão sobre a imagem de pensamento que norteia este espaço de análises: o que são os fios?... Continuar Lendo →

Curso Livre. Amor, Amores (inscreva-se)

No Ciclo de Humanidades, que realizamos juntamente com o Consulado da França no Rio de Janeiro,  propusemos uma reflexão sobre “A Revanche de Deus?! Religião em tempos de crise”, realizada em julho. Hoje, dia 29 de agosto, enfrentamos o tema "Rumo a uma sociedade pós-depressiva?", que aborda o sofrimento psíquico no mundo contemporâneo. Temos agora... Continuar Lendo →

Fios do tempo. O anti-intelectualismo diante da figuração moderna do horrível – por Paulo Henrique Martins

O "Fios do tempo: análises do presente" publica hoje um artigo de Paulo Henrique Martins (UFPE) sobre a ascensão do anti-intelectualismo. Diagnosticando o avanço do desconstrutivismo não apenas como resposta a uma crise da modernidade, mas também como movimento autofágico do capitalismo neoliberal, Paulo Henrique contribui para nossa reflexão, feita nesta semana no Ciclo de... Continuar Lendo →

Pontos de Leitura. O poeta come amendoim, por Mário de Andrade

Pontos de Leitura. O poeta come amendoim, por Mário de Andrade - Achado de Lindoberg Campos

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: