Pontos de leitura. Sobre politização do judiciário, ou nas origens do “populismo impolítico”

Excerto de: André Magnelli. À prova do populismo. In: "Uma democracia (in)acabada". p. 202-203. "o populismo impolítico possui uma lógica diferente, que não tem paralelismo tão estreito com o cesarismo. Tratam-se aqui de outros atores, aqueles que servem de contrapeso ao poder executivo e ao legislativo; a tal ponto que ele pode se tornar uma... Continuar Lendo →

Pontos de leitura. Homenagem a Michel Serres (1930-2019) (I) – Amar o humano, amar a Terra

No dia primeiro de junho deste ano de 2019, Michel Serres nos deixou aos 89 anos, legando-nos uma das mais belas e influentes obras filosóficas contemporâneas, construída no entrecruzamento de ciências sociais e humanidades, matemática e poesia. Não por acaso, em O Império do Sentido: a humanização das ciências humanas (1997), o  historiador François Dosse... Continuar Lendo →

Pontos de leitura. Um povo à espera de um Messias (excertos de “Democracia (in)acabada”)

A herança messiânica ibérica, em seus diversos e quase infinitos matizes, possui forte influência na configuração do sistema político brasileiro. Sebastião Lindoberg - Cesarismos e messianismos: o inalcançável povo do Brasil, p. 236. Ao substituir a ágora pelo púlpito religioso ou o salvador da pátria, as experiências messiânicas criam paradoxos na história brasileira que só... Continuar Lendo →

Pontos de leitura. A nova era do populismo?

Populismo O espectro dos populismos assombra o mundo. Se o século XX foi a época dos extremos totalitários, o século XXI promete entrar na era dos radicalismos populistas. As democracias vivem, hoje, à prova dos populismos: pensá-las implica interpretá-los, renová-las exige lhes dar uma resposta. À prova do populismo - André Magnelli Se quisermos compreender... Continuar Lendo →

Pontos de leitura. A tentação cesarista – excerto de “Uma democracia (in)acabada”

Que um poder possa dizer “já que estou eleito, eu tenho todos os direitos”, este poder não participa de uma definição adequada da democracia  Pensar o populismo - Pierre Rosanvallon, p. 164 Além de produzir perversões políticas autoritárias, as formas iliberais de democracia instilaram no imaginário da democracia brasileira imagens e argumentos que continuam a... Continuar Lendo →

Pontos de leitura. A religião como o cuidado do tempo; ou por que não negligenciar os elos do mundo, por Michel Serres

Não cessamos de perder a memória dos atos estranhos a que se entregavam os sacerdotes em redutos sombrios e secretos, onde sozinhos, vestiam a estátua de um deus, a ornamentavam, limpavam-na, erguiam-na ou mostravam-na, preparavam-lhe uma refeição e lhe falavam indefinidamente, e isto todos os dias, todas as noites, na aurora, no crepúsculo, quando o... Continuar Lendo →

Pontos de leitura. O que é a democracia, afinal? – “Uma democracia (in)acabada” (Ateliê de Humanidades, 2019)

Iremos publicar em breve o livro Uma democracia(in)acabada: quadros e bordas da soberania do povo com Pierre Rosanvallon. Com ele, inauguramos o selo editorial do Ateliê de Humanidades. Como preparativo para o lançamento, disponibilizamos a todos algumas citações retiradas de nosso livro.

Pontos de Leitura. Uma Educação Livre, por Michel Foucault (2019)

"Uma universidade que não é plenamente livre não passa de uma empresa de servilidade. [...] A liberdade de expressão e de pesquisa são sinais de garantia da liberdade dos povos" - Michel Foucault

Pontos de Leitura. Quando um intelectual solitário se encontra com massas inseguras, por Karl Mannheim

Os aspectos mórbidos de um estado de permanente descompromisso [com o mundo por parte de intelectuais] são evidentes. [Diferentemente de intelectuais inteiramente descompromissados], quem se defronta com as consequências diárias de suas ações acaba por adquirir hábitos pragmáticos e uma visão crítica dentro dos limites de sua prática profissional. O intelectual [completamente descompromissado] escapa destas... Continuar Lendo →

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: