Fios do Tempo. A Igreja Católica em crise

Há alguns dias (04 de junho), o cardeal alemão Reinhard Marx apresentou uma carta de renúncia ao Papa em meio a mais um episódio da crise interna da igreja Católica. Como interpretar tal fato? Seria ele um acontecimento banal restrito à situação alemã ou expressa ele um conflito muito mais profundo e decisivo? Em uma... Continuar Lendo →

Fios de Tempo. “Muita cachaça e nada de oração” – por Nelson Lellis

As redes se divertiram bastante sobre a declaração do Papa Francisco de que no Brasil estamos perdidos porque "tem muita cachaça e nada de oração". Um momento de descontração, para rir de nós mesmos em meio ao pesadelo no qual mergulhamos com afinco. Mas... o que mais podemos pensar a respeito desta frase? O que... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. O Império Retórico – por Chaïm Perelman

Pela primeira vez no site do Ateliê de Humanidades, tenho a felicidade de publicar um texto sobre a Retórica. Trata-se aqui de um ensaio clássico escrito por Chaïm Perelman, um renovador da retórica no século XX que é uma grande influência sobre o meu próprio pensamento. Traduzido há muitos anos por mim, para uso nos... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Uma rota de saída do inferno – por Luiz Werneck Vianna

Em nova contribuição, Werneck Vianna retoma o argumento a respeito da necessidade de uma ampla coalizão de forças democráticas para barrar o autoritarismo governista. Sua análise mostra que, apesar de seus tropeços políticos, a coalizão que elegeu Bolsonaro conta com sustentação social, a começar por elites econômicas atrasadas que contam com expressiva representação parlamentar e... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Celso Furtado: um polímata visionário – por Paulo Henrique Martins

Na última quinta-feira realizamos a live "Em busca de um país: reencontro com Celso Furtado", onde conversamos sobre a obra de Furtado no contexto do lançamentos do livro "Correspondências intelectuais 1949-2004" (organizado por Rosa Freire d'Aguiar). Como fruto deste dia, trazemos hoje o belo texto de Paulo Henrique Martins (UFPE) sobre "Celso Furtado: um polímata... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Perfil de um mestre: Humberto Maturana Romecín (1928-2021) – por Marcelo Arnold-Cathalifaud

Ontem o grande mestre Humberto Maturana nos deixou, que é reconhecido por ter sido, juntamente com Francisco Varela, o teórico da "autopoiesis". Sua contribuição, com a teoria dos seres vivos e a biologia da cognição e do amor, é trandisciplinar, influencia tanto as ciências naturais quanto as humanas. Em sua homenagem, publicamos o texto do... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Semblanza de un maestro: Humberto Maturana Romecín (1928-2021) – por Marcelo Arnold-Cathalifaud

Ayer despedimos al gran maestro Humberto Maturana, reconocido por haber sido, junto a Francisco Varela, el teórico de la "autopoiesis". Su aportación, con la teoría de los seres vivos y la biología de la cognición y el amor, es trandisciplinar, influyendo tanto en las ciencias naturales como en las humanidades. En su honor, publicamos el... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Entrevista com Elena Pulcini – Paixões empáticas para um mundo vulnerável

Em homenagem, trazemos hoje no Fios do Tempo, na forma de texto e áudio-leitura, a entrevista da socióloga e filósofa italiana Elena Pulcini, que nos deixou no mês de março de 2021, vitimada pela Covid-19. A entrevista foi feita pela socióloga Silvia Cataldi (Universidade de Roma / Social One). Esta linda entrevista foi feita por... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. O vice-presidente e sua pretensa tutela militar – por Felipe Maia

Depois da troca do Ministro da Defesa, muitos de nós esperávamos a posição de Hamilton Mourão a respeito do que estava em jogo, porque, na condição de vice-presidente, ele não deixa de ser um fiel da balança. No último dia 06, Mourão publica um artigo no Estadão que deixa entrever sua visão de como se... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. A vitória de Pirro de Hans Küng? – por Carlos Eduardo Sell

Na última semana nos despedimos de três gigantes do pensamento: o antropólogo americano Marshall Sahlins, o crítico literário brasileiro Alfredo Bosi e o teólogo suíço Hans Küng. No contexto da morte de Küng, um dos principais representantes da teologia crítica e progressista, Carlos Eduardo Sell faz uma reflexão sobre as possíveis consequências de sua obra... Continuar Lendo →

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: