Fios do Tempo. Transformar a educação em face à Inteligência Artificial – por Cédric Villani et al.

Estando a preparar minha palestra sobre "Os saberes necessários à educação de nosso tempo", que ministrarei nesta quinta-feira (22/09) no município de Porciúncula, no interior do estado do Rio de Janeiro, revisitei o texto "Transformar a educação", que é um capítulo do relatório do governo francês "Dar um sentido à inteligência artificial. Por uma estratégia... Continuar Lendo →

Fios do tempo. Dar asas a uma filosofia educativa – por André Magnelli (prefácio a “A propósito do labirinto)

O livro "A propósito do labirinto", de Marcus Tadeu, é um relato de memórias narradas com a arte de um contador de histórias. Em meu prefácio, proponho que ele nos traz uma filosofia educativa para uso nas escolas prisionais, e em todo nosso sistema de educação. Poupo minhas palavras neste editorial, para que você possa... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Complicar a democracia: vigiar, impedir, julgar – por Diogo Cunha (apresentação a “A Contrademocracia”, 2022)

No contexto de publicação pelo Ateliê de Humanidades Editorial de "A contrademocracia: a política na era da desconfiança" (2022), trazemos agora no Fios do Tempo a apresentação do tradutor Diogo Cunha, que expõe as teses do livro à luz da obra de Pierre Rosanvallon e dos acontecimentos políticos dos últimos anos no Brasil. "A Contrademocracia"... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Nas mutações da democracia: a obra de Pierre Rosanvallon – por André Magnelli (posfácio a “A Contrademocracia”, 2022)

Após ter publicado "O século do populismo: história, teoria, crítica" (2021), que entrou na lista da revista 451 dos melhores livros de ciências sociais de 2021, o Ateliê de Humanidades Editorial está trazendo ao público brasileiro, em parceria com a editora Seuil e com um apoio do Consulado da França, a "tetralogia das mutações da... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. O político e a religião: em resposta a Alain Caillé – por Marcel Gauchet

Após o texto de Alain Caillé, "O político-religioso: algumas teses embrionárias", trazemos as proposições de Marcel Gauchet, elaboradas na forma de uma resposta crítica a Caillé. No presente texto, Gauchet questiona a validade do conceito de "político-religioso", defendendo a sua tese de que a religião é uma modalidade do político que predominou na longa duração... Continuar Lendo →

O político-religioso: algumas teses embrionárias – por Alain Caillé

Depois de um pequeno descanso de vinte dias, retornamos nesta semana às publicações do Fios do Tempo. Começamos com a publicação de um debate entre Alain Caillé e Marcel Gauchet sobre o que são e como se relacionam o político e o religioso. Hoje, publicamos as teses embrionárias de Caillé sobre o que ele chama... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. O poder pastoral de Cabo Anselmo – por Aldo Tavares

Sabemos o que é o poder? E como ele se exerce? Conseguimos entender, a fundo, o que é uma guerra e como ela se faz taticamente por movimentos e repousos, encenações e duplicidades? Será que conseguimos sair dos esquemas binários para repensar a política pelo entre-dois? E o que isso tem a ver com a... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Narrativas bíblicas em quadrinhos: as representações da sexualidade e da guerra – por Nelson Lellis

A análise de história em quadrinhos parece ser mera diversão, bem distante de trabalho feito com seriedade. Mas começamos a olhar diferente quando percebemos que muitas Igrejas cristãs possuem um mercado editorial voltado para o público infanto-juvenil, seguindo o velho preceito de que a catequização deve começar desde criança; e, também, que as narrativas imaginárias... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Um universalismo por vir (resenha de: O diálogo possível, de Francisco Bosco) – por Marcos Lacerda

A leitura e resenha de livros é um trabalho imprescindível tanto para a vida intelectual quanto para o debate público democrático. Este exercício reflexivo é ainda mais valioso quando realizado com o cuidado próprio de um bom intérprete, atento à pluralidade de ideias, perspectivas e valores. É isso que Marcos Lacerda vem fazendo em suas... Continuar Lendo →

Fios do Tempo. A afirmação do falso: ficção externa nas plataformas digitais – por Luiz Costa Lima

Como se sabe, Luiz Costa Lima desenvolveu ao longo de sua obra uma teoria da ficção, que apresenta, entre outras coisas, uma distinção entre "ficção interna" e "ficção externa". Tendo sido instigado por alguns de seus frequentes interlocutores a respeito dos limites de uma teoria da ficção externa elaborada por alguém que está alheio (por... Continuar Lendo →

por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: