Ciclo de Humanidades Virtual. Metamorfoses da colonialidade: Pensar o capitalismo na era das incertezas

O Ciclo de Humanidades iria começar no dia 26 de março com o tema A cidade porvir, pensar as crises de hoje, construir as vias do amanhã, com participação de Vivian Blaso e Sydney Cincotto Jr. Com a pandemia, adiamos este Ciclo para que seja feito quando passar a fase do isolamento social e nossas cidades puderem ser novamente ocupadas, com segurança, liberdade e convivialidade.

Mas enquanto isso, nosso Ciclo de Humanidades inicia na forma digital e virtual. No dia 07 de maio (quinta-feira), recomeçamos com um tema fundamental para os nossos tempos de coronavírus: “Metamorfoses da colonialidade: pensar o capitalismo na era das incertezas”, com participação de Paulo Henrique Martins (UFPE) e Ricardo Regatieri (UFBA). Aproveitaremos para lançar os livros Teoria crítica da colonialidade, de Paulo Henrique Martins (Ateliê de Humanidades Editorial), e Capitalismo sem peias, de Ricardo Regatieri (Humanitas).

Faremos sorteios dos livros e daremos certificados pela participação.

Nos vemos lá!


Apresentação do tema

No atual contexto de pandemia do coronavírus, surgem muitas incertezas em relação ao futuro do capitalismo. A roda da economia recebeu um forte solavanco e os Estados-nação estão buscando evitar, cada qual a seu modo, um colapso econômico e financeiro. Diante disso, surgem questões: como o capitalismo irá responder à grave recessão? Com que feições ele sairá desta crise, que é considerada a pior desde o crash de 1920 e a II Guerra Mundial? Não faltam questões nesta era das incertezas na qual ingressamos. De um lado, surgem novas possibilidades de avanços com convergências em torno de uma agenda social, política e ecológica global que era urgente, mas que é travada por lutas por poder e jogos de interesse fortemente estruturados. Mas, por outro lado, poderão retornar também as velhas formas de colonialidade e emergir novas formas de colonização. Ou seja, tendo em vista que o capitalismo sempre esteve vinculado à colonialidade, temos que nos perguntar não apenas sobre quais serão as possíveis mutações do capitalismo, mas também quais serão as metamorfoses da colonialidade.

Para refletir sobre essas questões, no próximo dia 07 de maio (19-21h), o Ateliê de Humanidades, juntamente com a BiblioMaison/Consulado da França no Rio de Janeiro, realizará o primeiro encontro do Ciclo de Humanidades Virtual, com o tema “Metamorfoses da colonialidade: pensar o capitalismo na era das incertezas”, com participação de Paulo Henrique Martins, professor titular da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e Ricardo Regatieri, professor adjunto da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Neste dia, serão lançados também os livros Teoria Crítica da Colonialidade, de Paulo Henrique Martins (Ateliê de Humanidades Editorial), e Capitalismo sem peias, de Ricardo Regatieri (Editora Humanitas).

Local: 
Aplicativo Zoom (link será disponibilizado no ato de inscrição)

Data: 
07 de maio (quinta-feira)

Horário: 
das 19 – 21h

Certificado:
Será disponibilizado Certificado, pelo Ateliê de Humanidades/BiblioMaison, para participação neste evento. Caso haja participação de no mínimo 75% dos dias, será dado o certificado de participação no Ciclo de Humanidades como um todo.



Participantes:



Já está disponível no nosso canal do youtube a gravação do primeiro encontro do Ciclo de Humanidades Virtual, “Metamorfoses da colonialidade: pensar o capitalismo na era das incertezas”


Fios do Tempo. La clave de Melquíades: abrir las puertas de una educación ladino-americana – por Gabriel Restrepo

Estoy muy contento de publicar hoy nuestro primer ensayo de Gabriel Restrepo sobre educación, ciencia y cultura, “La clave de Melquíades”. En este espléndido texto, que ganó el Premio Internacional de la Multi-Universidad Edgar Morin en Hermosillo, México, Restrepo hace un viaje narrativo sobre nuestra historia latinoamericana, haciendo uso del personaje Melquíades, de la novela… Continuar Lendo →

Curso livre. Moisés: a figura mosaica no Antigo Testamento e na contemporaneidade

Apresentação Moisés é um dos mais influentes personagens da História das Religiões e é um traço fundamental, ao lado de Jesus, do tecido que forma a civilização judaico-cristã ocidental. Ao mesmo tempo, é uma figura de origens enigmáticas, enevoada no mistério das montanhas sagradas nas quais, ensinam as Escrituras, Deus teria se revelado a ele…. Continuar Lendo →

Fios do tempo. La idea de una Sociología Filosófica – Daniel Chernilo

Como adelanto de nuestro Panel Internacional “Una humanidad insoslayable“, que se celebrará el próximo jueves (22, a las 18 horas), traemos hoy al Fios do Tempo [Hilos del Tiempo] el artículo seminal de Daniel Chernilo donde se presenta la idea de una sociología filosófica. Chernilo defiende el fuerte tese del carácter insoslayable de la cuestión… Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Huellas de una peregrinación – por Gabriel Restrepo

El sociólogo, filósofo, poeta, educador y ensayista colombiano Gabriel Restrepo es, sin duda, uno de los más grandes intelectuales latinoamericanos de la actualidad. Representa una exuberante tradición de polímatas y eruditos universales que florecen en nuestras tierras raras del Sur Global. Por eso considero un honor comenzar a publicar hoy, en los Fios do Tempo… Continuar Lendo →

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: