Podcast. O direito à saúde em face ao coronavírus: um diálogo latino-americano

O República de Ideias, na continuidade da série de debates sobre o coronavírus, publica um episódio que discute o artigo do economista colombiano Hernando Sáenz Acosta. Nele, o autor reflete sobre o direito à saúde e a proposta convivialista em face aos desafios oriundos da pandemia em curso, trazendo para tanto uma análise da experiência de privatização ocorrida na Colômbia desde os anos 1990.

Com isso, Hernando gera uma importante reflexão cruzada: aos colombianos (e outros que sofreram um processo de privatização de seus sistemas de saúde) , é dada a oportunidade de refletir sobre a natureza do processo de privatização; e aos brasileiros, é dada a possibilidade de refletir sobre o sistema público de saúde e dos direitos sociais, antevendo quais seriam as consequências de uma privatização avançada.

Para garantir esse reflexão cruzada, também convidamos a pesquisadora e mestra em saúde coletiva pela UFF, Amanda Rodrigues. Ela nos apresenta um pouco da história e princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro. Destaca os desafios e as ameaças presentes, permitindo identificar as diferenças e similitudes com o caso colombiano.  

Por fim, temos a participação de Emmanuel Rapizo, que apresenta um panorama da estrutura da área de saúde no México.A conversa é sobre o ensaio que publicamos no Fios do tempo. Convidamos a todos que o leiam também: https://ateliedehumanidades.com/2020/03/30/fios-do-tempo-o-direito-a-saude-em-face-ao-coronavirus-reflexoes-a-partir-da-experiencia-colombiana-por-hernando-saenz-acosta/.

Desejamos uma boa escuta!

Apresentadores: André Magnelli e Emmanuel Rapizo

Convidados: Hernando Sáenz Costa (Universidade Santo Tomás – Bogotá, Colômbia) Amanda Rodrigues (Fiocruz)

Edição: Henrique Rapizo

Vinheta de abertura: Bruno Albert

Tópicos:

1. Saúde como direito ou saúde como mercadoria;
2. A montagem do sistema colombiano de saúde: como funciona, quais problemas? (Hernando Sáenz)
3. O Sistema único de Saúde no Brasil: como funciona e é percebido (Amanda Rodrigues)
4. O sistema mexicano: o desafio atual de construção de um sistema público (Emmanuel Rapizo)
5. Quais são os processos de privação em curso? Como se dá a relação entre público e privado no Brasil?
6. Modelo hospitalar e modelo de atenção primária
7. Efeitos positivos da descentralização do SUS no Brasil
8. Os desafios contemporâneos em meio à pandemia
9. Perspectivas desejadas para o pós-pandemia na Colômbia, no México e no Brasil.


Hernando Sáenz Acosta é economista, professor da Faculdade de Sociologia da Universidade Santo Tomás, Bogotá, Colômbia. Livre-investigador parceiro do Ateliê de Humanidades, é economista e doutor em planejamento urbano e regional, dedicado aos estudos urbanos desde uma perspectiva convivialista.


Amanda Rodrigues é pós-graduada na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) e atualmente trabalha no Hospital de campanha da FIOCRUZ.


Siga o Ateliê de Humanidades nas redes sociais!

Twitter: https://twitter.com/AtelieHuman
Instagram: https://www.instagram.com/ateliedehumanidades/
Facebook: https://www.facebook.com/ateliedehumanidades/
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCcS3jWlBCrLvtcWgmgDcn1w/featured


Escolha algum dos armazenadores de podcast abaixo.
É só clicar!


Lançamento de “Teoria sociológica contemporânea”, organizado por Carlos Eduardo Sell e Carlos Benedito Martins (Vozes, 2022)

Nesta terça-feira, às 19:30h, o Ateliê de Humanidades realizará, em parceria com a Editora Vozes, o lançamento do livro “Teoria sociológica contemporânea: autores e perspectivas”, organizado por Carlos Eduardo Sell e Carlos Benedito Martins (Vozes, 2022). A live contará com as presenças de Carlos Eduardo Sell (UFSC), Paulo Henrique Martins (UFPE), Carlos Gadea (UNISINOS), Bruna… Continuar Lendo →

Fios do Tempo. Calúnias como manobras políticas: a difamação das eleições no Brasil, por Alessandra Maia

Há uma tendência global de contestar a lisura das eleições. Isso também ocorreu no Brasil, como era de se esperar. O último fato foi a ação do PL, que teve resposta imediata do ministro Alexandre de Moraes, que não apenas a rechaçou como também multou a coligação por calúnia. Como interpretar esta tendência global? E… Continuar Lendo →

Curso Livre Virtual. O apelo à eternidade: outro olhar sobre os epitáfios gregos – por Ritá Codá

Os gregos antigos nunca tiveram uma concepção homogênea a respeito da morte. Vê-se isso, de maneira inédita, nos seus epitáfios, principalmente naqueles em que o morto / defunto ou o próprio túmulo ou o cenotáfio se dirige ao transeunte, ao passante. A morte não aniquila o homem enquanto a palavra oral ou escrita o mantém… Continuar Lendo →

Lançamento virtual. “A contrademocracia: a política na era da desconfiança”, de Pierre Rosanvallon

Na próxima quarta-feira (23/11), às 19h, temos o debate de lançamento de “A contrademocracia: a política na era da desconfiança”, primeiro livro da tetralogia das mutações da democracia, de Pierre Rosanvallon. Participam Felipe Maia (UFJF), Diogo Cunha (UFPE) e Alessandra Maia (PUC-RJ), com mediação de André Magnelli (Ateliê de Humanidades). Quando? 23 de novembro (quarta),… Continuar Lendo →

Ciclo de Humanidades 2022. A responsabilidade frágil: responder com atenção e sensibilidade

No último encontro do Ciclo de Humanidades 2022, conversaremos sobre a outra face da escuta: a capacidade de responder com atenção e sensibilidade. Deste modo, concluindo esta rodada de reflexão sobre nosso “tempo do sensível”, traremos uma concepção de responsabilidade que está associada à capacidade de estar atento e sensível ao que se faz e… Continuar Lendo →

Fios do tempo. O modernismo inacabado de Mário de Andrade – por André Magnelli

Aproveitando a ocasião da mesa “Mário de Andrade, pensador e intérprete do Brasil” no Seminário “Pensar o Brasil: 100 anos da Semana de 22”, que ocorre nesta quinta-feira (10/11) às 10h, publicamos hoje, no Fios do Tempo, meu ensaio “O modernismo inacabado de Mário de Andrade”, que foi publicado no volume Mário de Andrade da… Continuar Lendo →

Deixe uma resposta

por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: