Traição, atração e contorsão: quando o brincar desnuda o poder

por Aldo Tavares* Denunciada por uma enfermeira por causa da posse de um livro marxista, Nise da Silveira, em 1936, aos 31 anos, foi levada ao presídio Frei Caneca, permanecendo durante 18 meses. De 1936 a 1944, ficou afastada do serviço público. Uma vez reintegrada, ela volta a trabalhar no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II,... Continuar Lendo →

Pontos de leitura: sugestão de “A Estetização do mundo. Viver no capitalismo artístico”, de Lipovetsky e Serroy

Para além das aparências, os autores ressaltam que a era transestética, hipermoderna, hiperconsumista traz em si ilusões, sedutoramente amparadas no que eu denomino, em minha pesquisa, "condição estética do ser humano". Aos olhos dos autores, o capitalismo artista paradoxalmente opera mais como um oxímoro do que como um ogro que devora os próprios filhos. E, como tal, paga o preço de sua sobrevivência com crises e catástrofes que entrecortam sua história.

Pontos de leitura: o sucesso e o fracasso de um capitalismo artista, por Lipovetsky & Serroy

As produções estéticas proliferam, mas o bem viver está ameaçado, comprometido, ferido. Consumimos cada vez mais belezas, porém nossa vida não é mais bela: aí se encontram o sucesso e o fracasso profundos do capitalismo artista. [...] As belezas são excessivas, mas [...]

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: