Curso “Autoria em rede”, com prof. Bia Martins

R$180,00

No limiar da era da inteligência artificial, ainda podemos falar em autoria? Sim, podemos, mas para isso precisamos percorrer a sua história. Ao apresentar as diferentes configurações de autoria, buscamos compreender mais adequadamente os desafios atuais com o surgimento dos produções colaborativas em rede no meio digital e com a participação no processo autoral da inteligência artificial generativa.

Descrição

No limiar da era da inteligência artificial, ainda podemos falar em autoria? Sim, podemos, mas para isso precisamos percorrer a sua história. Ao apresentar as diferentes configurações de autoria, buscamos compreender mais adequadamente os desafios atuais com o surgimento dos produções colaborativas em rede no meio digital e com a participação no processo autoral da inteligência artificial generativa.

Para tanto, abordaremos os modelos autorais desde a Antiguidade, passando pela Idade Média, até a consolidação, e posterior questionamento, do indivíduo-autor na Modernidade. Daremos atenção especial ao fenômeno da “autoria em rede”, que possui tensionamentos entre o direito de autor e o direito de acesso. Por último, nos debruçaremos sobre o advento recente de sistemas de Inteligência Artificial generativa, como o ChatGPT, o que acaba embaralhando de vez a noção de autoria, chegando a problematizar a sua prerrogativa humana. Será que a dimensão humana do processo criativo corre o risco de ser eliminada? 

Disponível em vídeos gravados (4 vídeos/aula)

Você é sócio/a do Ateliê Clube? Use seu cupom de desconto! (Descontos para Sócio Padrão (25%), sócio-leitor e sócio-premium (50%, com direito a 1 curso gratuito por ano).

Programa

Aula I. Introdução histórica ao que é a autoria: da Antiguidade à invenção da imprensa

Iniciamos o curso com uma apresentação do programa. Percoremos a história da questão da autoria: na Antiguidade, na Bíblia, na Idade Média e com a invenção da imprensa. Em seguida, temos uma conversa com a turma, onde são abordados alguns temas: o caráter “hipertextual” da Bíblia; os hábitos da leitura pública na cultura oralizada; indiciação das questões da “morte do autor” em Barthes, do “livro como agenciamento de multiplicidades” em Gilles Deleuze e “o que é um autor” em Michel Foucault (algumas das quais serão trabalhadas na próxima aula); e a extensão da autoria do “escritor” de livros para a autoria do “artista” nas artes plásticas.

Tempo de vídeo: 1 hora e 10 minutos

Aula II. Variações históricas da autoria: modernidade, romantismo e século XX (Barthes, Foucault, vanguardas artísticas)

Na segunda aula, continuamos percorrendo as variações históricas nas formas de autoria. Em primeiro lugar, tratamos da modernidade e do Romantismo, mostrando como emerge a noção de autor como gênio, isto é, como sujeito criador. Em seguida, são abordados os abalos na figura do gênio ocorridos ainda no século XIX. Ingressando no século XX, trata-se de duas proposições críticas: a “morte do autor”, em Roland Barthes, e a “função autor”, de Michel Foucault. A última parte da aula expõe alguns exemplos de novas formas de autoria oriundos de vanguardas artísticas contemporâneas. No final do vídeo, deixamos algumas considerações filosóficas de Aldo Tavares em diálogo com a professora.

Aula III. O hipertexto digital e o surgimento da autoria colaborativa em rede Na terceira aula do curso, entramos na autoria em rede propriamente dita. Em primeiro lugar, abordamos as características do hipertexto e como sua estrutura interativa e conectiva favoreceu o surgimento de novas formas de autoria colaborativa em meio digital. Em seguida, apresentamos dois modelos exemplares de autoria em rede: a Wikipédia, a enciclopédia colaborativa que todos podem editar, e o Software Livre, movimento que criou o conceito de CopyLeft, uma licença alternativa ao CopyRight. Por último, tratamos da licença Creative Commons e de iniciativas que impulsionou, como o movimento Cultura Livre e a cultura do Remix.

Aula IV. Desafios do meio digital: direito de autor vs de acesso e a emergência da Inteligência Artificial generativa Na quarta e última aula do curso, inicialmente abordamos os tensionamentos e saídas para o conflito entre direito de autor e direito de acesso à cultura e ao conhecimento no meio digital. Em seguida, tratamos da participação do algoritmo em processos autorais, com apresentação de alguns exemplos e reflexões sobre a autoria ciborgue. Por último, analisamos as inovações da Inteligência Artificial generativa, como ChatGPT e MidJourney, seus potenciais, limites e riscos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

por Anders Noren

Acima ↑