Mais Oswald, menos Ernesto. Mais Brasil, menos Pátria

Por Sebastião Lindoberg da S. Campos Em março de 1924 Oswald de Andrade afirma no manifesto Poesia Pau-Brasil que o “carnaval do Rio de Janeiro é o acontecimento religioso da raça”. De fato o carnaval é a manifestação mais genuína daquilo que podemos chamar de brasilidade. Mas o que é brasilidade? Essa busca de entendimento... Continuar Lendo →

Traição, atração e contorsão: quando o brincar desnuda o poder

por Aldo Tavares* Denunciada por uma enfermeira por causa da posse de um livro marxista, Nise da Silveira, em 1936, aos 31 anos, foi levada ao presídio Frei Caneca, permanecendo durante 18 meses. De 1936 a 1944, ficou afastada do serviço público. Uma vez reintegrada, ela volta a trabalhar no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II,... Continuar Lendo →

No reino de Momo, rir é coisa séria

De segunda a sexta, José Maria de Jesus sai às 6h de Nilópolis para trabalhar na av. Rio Branco. Pai de duas crianças, ele vende bolsas femininas como camelô. José torce pela Beija-Flor. “Para mim, o mais bonito desfile da nossa escola de samba foi Ratos e Urubus, com Joãozinho Trinta, em 1989”, lembra com... Continuar Lendo →

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: