Traição, atração e contorsão: quando o brincar desnuda o poder

por Aldo Tavares* Denunciada por uma enfermeira por causa da posse de um livro marxista, Nise da Silveira, em 1936, aos 31 anos, foi levada ao presídio Frei Caneca, permanecendo durante 18 meses. De 1936 a 1944, ficou afastada do serviço público. Uma vez reintegrada, ela volta a trabalhar no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II,... Continuar Lendo →

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: