Projeto – Robôs como artistas ou como obra de arte? Reflexões sobre a arte contemporânea a partir de uma etnografia dos usos da robótica na arte

Pesquisadora

Liz Ribeiro

Tutoria

André Magnelli

Resumo

O projeto realiza reflexões sobre as transformações da arte contemporânea a partir de uma etnografia dos usos da robótica na arte. Performance, instalação, videoarte, fotografia – essas são apenas algumas das formas de manifestação artística que surgem com a arte contemporânea. Dentre os movimentos contemporâneos de arte, emergiu a chamada “arte robótica”. Ela surgiu, segundo o artista Eduardo Kac, a partir da década de 50 com obras que se utilizavam de dispositivos eletrônicos. A arte robótica parece, contudo, possuir especificidades que nos suscitam algumas perplexidades sobre as transformações da arte. Os robôs tendem a adquirir dois papéis principais: como obra de arte e/ou como artista. A mera consideração dos robôs como produtores – e, consequentemente, artistas – já faz parte de uma concepção teórica onde os atores não-humanos têm seu papel reconhecido. Como então podemos lidar com essa nova realidade? Objetiva-se aqui realizar uma investigação teórica e etnográfica da arte robótica que permita pensar questões primordiais da arte em geral, tais como o que caracterizaria uma obra de arte e o que faz de um produtor um artista, e questões específicas à arte contemporânea, tais como a performance, o caráter interativo da obra de arte, a curadoria, as instalações, etc.

Natureza

Projeto de pesquisa individual, desenvolvido no Ateliê de Humanidades e no Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia do IFCS-UFRJ

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: