Traição, atração e contorsão: quando o brincar desnuda o poder

por Aldo Tavares* Denunciada por uma enfermeira por causa da posse de um livro marxista, Nise da Silveira, em 1936, aos 31 anos, foi levada ao presídio Frei Caneca, permanecendo durante 18 meses. De 1936 a 1944, ficou afastada do serviço público. Uma vez reintegrada, ela volta a trabalhar no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II,... Continuar Lendo →

Pontos de Leitura do Ateliê de Humanidades – Conheça

A leitura é uma das mais prazerosas experiências do artesanato intelectual. Em nossos estudos e pesquisas, fazemos viagens que navegam entre leituras e livros, às vezes com um roteiro bem planejado, outras vezes com uma aventura plena de caos. No meio do caminho, há sempre pedras, pois há sempre pedras no meio do caminho. Mas... Continuar Lendo →

No reino de Momo, rir é coisa séria

De segunda a sexta, José Maria de Jesus sai às 6h de Nilópolis para trabalhar na av. Rio Branco. Pai de duas crianças, ele vende bolsas femininas como camelô. José torce pela Beija-Flor. “Para mim, o mais bonito desfile da nossa escola de samba foi Ratos e Urubus, com Joãozinho Trinta, em 1989”, lembra com... Continuar Lendo →

Pontos de leitura: sugestão de “A Estetização do mundo. Viver no capitalismo artístico”, de Lipovetsky e Serroy

Para além das aparências, os autores ressaltam que a era transestética, hipermoderna, hiperconsumista traz em si ilusões, sedutoramente amparadas no que eu denomino, em minha pesquisa, "condição estética do ser humano". Aos olhos dos autores, o capitalismo artista paradoxalmente opera mais como um oxímoro do que como um ogro que devora os próprios filhos. E, como tal, paga o preço de sua sobrevivência com crises e catástrofes que entrecortam sua história.

Pontos de leitura: Resistir às crueldades, o combate essencial da ética

O bem está condenado a ser fraco, isso quer dizer que é preciso abandonar todo sonho de perfeição, de paraíso, de harmonia. Ele sempre é ameaçado, perseguido. Isso quer dizer também que ele induz a uma ética de resistência.

Pontos de leitura: o sucesso e o fracasso de um capitalismo artista, por Lipovetsky & Serroy

As produções estéticas proliferam, mas o bem viver está ameaçado, comprometido, ferido. Consumimos cada vez mais belezas, porém nossa vida não é mais bela: aí se encontram o sucesso e o fracasso profundos do capitalismo artista. [...] As belezas são excessivas, mas [...]

Agonies of the public sphere in times of Narcissus

Narcissus finds it ugly what is not a mirror and hates what, being public, has no face. Today’s public life is exciting, agitated and even activist. However, the fact that it is intense, it does not necessarily mean it is well; quite the contrary, it may signal that it is agonizing.

Robots that can create art!?

By Liz Ribeiro In October, 2018, the painting entitled “Portrait of Edmond De Belamy” was auctioned at Christie’s in New York for the price of 432 thousand dollars. This event itself did not represent anything extraordinarily new for the art world, since works of art are auctioned at art galleries all over the world on... Continuar Lendo →

Abaixo do asfalto está a praia: reflexões sobre o legado da Escola de Frankfurt, por Seyla Benhabib

Sendo liderado por Alberto Luis Cordeiro de Farias & André Magnelli, o Cartografias passou a ter como locus central o Ateliê de Humanidades e integrou, como co-coordenador, o professor Felipe Maia (UFJF). Iniciamos com grande alegria, agora em 2019, a segunda fase do Cartografias, trazendo a público um novo projeto, o nosso primeiro livro e uma série de publicações no Cadernos do Ateliê. Como estreia, publicamos no primeiro fascículo, o excelente texto de uma das principais teóricas da atualidade, Seyla Benhabib (Universidade de Yale). Agradecemos fortemente à Benhabib e à Boston Review por pela gentil autorização da publicação.

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: