Projeto – Os afetos, a psicanálise e os desafios da clínica contemporânea

Pesquisador

Marco Aurélio de Carvalho Silva

Tutoria

André Magnelli

Resumo

A experiência clínica contemporânea lança desafios inéditos para a teoria psicanalítica de matriz freudiana e lacaniana. Os quadros neuróticos, comuns na época de Freud, já não se manifestam da mesma forma e etiologia. Em contrapartida, na experiência clínica nos deparamos crescentemente com os chamados transtornos de humor e personalidade, categorias estabelecidas atualmente pela psiquiatria. Cada vez mais, parece que existe uma presença decisiva dos afetos na experiência analítica que permanece subteorizada e, portanto subestimada como conceito pela psicanálise, que priorizou a emergência da angústia como o afeto por excelência. Diante deste cenário, o presente projeto tem dois objetivos:

(1) resgatar uma teoria dos Afetos nas entrelinhas da própria obra de Freud como um todo, assim como em ensaios de teóricos psicanalistas dedicados à questão, como André Green, Monique Schneider e André Martins.

(2) buscar novos aportes para uma reflexão teórica psicanalítica e uma interpretação terapêutica em teorias clássicas da sociologia – Durkheim, A. de Tocqueville e Norbert Elias – e em intérpretes da cultura – como Paul Ricoeur, Christopher Lasch, Marcel Gauchet, Byung-Chul Han e Eva Illouz.

Natureza

Projeto individual de estudo e pesquisa.

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: