Livre-Pesquisadores Plenos

O que são?

Os Livre-pesquisadores plenos são aqueles que possuem plena formação, integrando o Corpo do Ateliê com ampla liberdade para dar tutoria de livre-formação e pesquisa, organizar grupos de estudos, lecionar cursos livres, fazer palestras e atividades culturais, coordenar atividades de pesquisa e empreender projetos inovadores.

Os Livre-Pesquisadores Plenos

 

André Magnelli

28383447_2003436263205822_1301840944_n.jpg

André Magnelli é idealizador, realizador e diretor do instituto de livre estudo, pesquisa, escrita e formação Ateliê de Humanidades. É professor adjunto da Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro, onde leciona na graduação e nas pós-graduações de Filosofia Moderna e Contemporânea, de Ciências da Religião e de Filosofia & Literatura. Tem graduação, com grau summa cum laude (CR 9,6), em ciências sociais pelo IFCS-UFRJ e mestrado (2009-2010), doutorado (2011-2015) e pós-doutorado (2016), como bolsista do CNPq, pelo IESP-UERJ. Foi assistente de pesquisa (2010-2013) e é pesquisador associado do núcleo de pesquisa em teoria social e sociológica SOCIOFILO, do IESP-UERJ, liderado por Frédéric Vandenberghe. Integra também, como pesquisador, o Centro Brasileiro de Estudos Durkheimianos (UFRGS). Publica periodicamente no Jornal do Brasil (JB); é membro organizador e editor do Blog do Sociofilo e editor do Cadernos do Ateliê, do Ateliê de Humanidades. Pesquisa na interface de teoria social, tecnociências & sociedade, sociologia histórica do político, teoria antropológica, ética, filosofia política e retórica.

Alberto Luis Cordeiro de Farias

_padrao_img_.jpg

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) onde foi bolsista pelo Programa de Educação Tutorial de Ciências Sociais da UFPE, MEC, SESu por sete períodos consecutivos. Atualmente, dedica-se ao Doutorado em Sociologia do IESP-UERJ, onde defendeu mestrado em 2016, e compõe o grupo de pesquisas Sociofilo. Seus interesses de estudo e pesquisa se concentram nas sub-áreas de Teoria Social e Filosofia das Ciências Sociais. Desenvolve pesquisas na intersecção da sociologia com a filosofia, tendo experiência com as seguintes especialidades: teoria sociológica clássica, pensamento social alemão e fundamentos filosóficos da teoria social, com ênfase nos seguintes temas: sociogênese da sociologia, sociologia crítica dos conceitos, sociologia filosófica, marxismo sociológico e teoria crítica alemã.

No âmbito não-institucional, ajudo a construir o Ateliê de Humanidades, onde co-animo as seguintes linhas ou planos de convergência: sobre (teoria) crítica contemporânea (Cartografias da Crítica: Fundamentos, Potencialidades e Limites), em colaboração com outros núcleos de pesquisa; sobre política, sociedade e cultura no Brasil (Brasiliando: política, sociedade e cultura); sobre humanismo, educação e formação humana (Entre Humanismo e Pragmatismo: artesanato, educação, cultura e trabalho no século XXI); sobre ficções e utopias políticas (Dis(U)Topias: crítica, crise e ficções além de nosso tempo); sobre capitalismo e sociologia das organizações (Transformações do Capitalismo e Mudanças Organizacionais); e sobre técnica e sociedade no século XXI (Tecnociências & Sociedade).

Diogo Silva Corrêa

19105531_10156116468790752_5245344346961068581_n

É pesquisador associado do Centre d’Études des Mouvements Sociaux da École des Hautes Études en Sciences Sociales (CEMS-EHESS) e pós-doutorando em sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ). É doutor em sociologia pelo IESP-UERJ e pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), em regime de co-tutela, tendo realizado um doutorado sanduíche no Groupe de Sociologie Pragmatique et Reflexive (GSPR-EHESS), sob a orientação de Francis Chateauraynaud. Foi orientado por Daniel Cefaï e por Frédéric Vandenberghe, de quem foi assistente de pesquisa. Fez pesquisa etnográfica junto a convertidos pentecostais da favela Cidade de Deus, tendo desenvolvido uma abordagem pragmatista das mudanças de vida, com particular ênfase na conversão religiosa. Atuais áreas de interesse: teoria sociológica, sociologia pragmática francesa; filosofia pragmatista; rupturas biográficas; mudanças de vida; sociologia dos problemas íntimos.

Jayme Gomes Neto

IMG_20180221_222221167_2.jpg

Sou graduado em Ciências Sociais e mestre em Sociologia, ambos pela Universidade de São Paulo (USP). Em minha dissertação trabalhei a relação entre a filosofia kantiana e a chamada escola sociológica francesa, no que se destaca a obra de Émile Durkheim. Sou atualmente doutorando pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e pesquisador do Centro Brasileiro de Estudos Durkheimianos. Realizo atualmente uma pesquisa que versa em torno dos desdobramento da teoria sociológica durkheimiana nas obras de autores como Claude Lévi-Strauss, Talcott Parsons, Erving Goffman, e outros.

Meus interesses de estudo e pesquisa, nos últimos anos, tem se direcionado principalmente às áreas de teoria social e da filosofia. No ateliê de humanidades, busco aperfeiçoar minha formação por meio da pesquisa e do intercâmbio intelectual. Mais especificamente, minha inserção se dá por meio da atuação − em alguns casos de maneira mais direta e em outros de forma mais lateral − nos seguintes planos de convergência: Entre Humanismo, Pragmatismo e Complexidade; Cartografias da Crítica; A Revolução do Dom; (Re)Pensando a Secularização.

Marcos Lacerda

marcos_foto

Possui graduação em Ciências Sociais pelo IFCS-UFRJ (2005-2009), mestrado em Sociologia e Antropologia pelo PPGSA/IFCS-UFRJ (2009-2011) e Doutorado em Sociologia pelo IESP/UERJ (2011-2015). Foi Diretor do Centro da Música da Funarte/Ministério da Cultura, responsável pelas políticas públicas para a música no Brasil, entre maio de 2015 e março de 2017. Atualmente faz parte do laboratório de pesquisa Sociofilo (IESP/UERJ), sob coordenação geral do Frédéric Vandenberghe, atua na coordenação e curadoria da coleção Caderno Ultramares, da OCA Editorial de Portugal, ao lado do crítico e editor Sérgio Cohn e é investigador visitante do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, com o projeto “Biopolítica e tecnologias da informação”

Lucas Faial Soneghet

ce211cdd-fb4f-4a8f-983b-a0d49993d28c

Doutorando em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA/IFCS/UFRJ). Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Durante o mestrado, desenvolveu pesquisa na área de Pensamento Social Brasileiro, defendendo dissertação sobre o catolicismo na obra de Mário de Andrade. Atualmente está pesquisando formas de cuidado no fim da vida. A pesquisa em andamento tem como temas: subjetividade, modelagem do self, cuidado de si e dos outros, corporalidade e o morrer.

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: