Livre-Pesquisadores Parceiros

Carlos Eduardo Sell

C.Sell

Pós-doutor pela Universidade de Heidelberg (Ruprechts-Karl Universität), Alemanha (2010/2011). Atualmente é professor do Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. Possui graduação em Filosofia, realizada na Fundação Educacional de Brusque. É Mestre e Doutor em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC. Tem experiência na área de Sociologia, voltando-se prioritariamente para os temas da Teoria Sociológica. Neste momento, desenvolve pesquisa sobre o pensamento de Max Weber, discutindo os temas da racionalidade e do racionalismo, com ênfase em sua sociologia da religião e em sua sociologia política. Entre 2013 e 2016 atuou como Coordenador do GT de Teoria Social da ANPOCS (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais) e, desde 2013, exerce a função de Coordenador do GT de Teoria Sociológica da SBS (Sociedade Brasileira de Sociologia), cuja Diretoria integra na mandato 2015-2017.. Membro do Núcleo de Pesquisa Sociofilo (IESP/RJ) e do SOCITEC (Sociedade Ciência e Técnica). Publicou, pela Editora Vozes, o livro MAX WEBER E A RACIONALIZAÇÃO DA VIDA, premiado pela ANPOCS como MELHOR OBRA CIENTÍFICA DE 2013. A partir de 2017, PRESIDENTE DO COMITÊ do 19o CONGRESSO de Sociologia da SBS (Sociedade Brasileira de Sociologia) a realizar-se em 2019 na cidade de Florianópolis-SC. 

Felipe Maia Guimarães da Silva

Felipe maia

Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Membro do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFJF. Doutor em Sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP – UERJ) (2014), com pós-doutorado no CPDOC – FGV (2015). Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2007) e mestrado em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (2009). Tem experiência na área de Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: questão agrária, modernização, intelectuais, fronteira e pensamento social brasileiro

Paulo Henrique Martins

db238e58-2747-4b35-a157-78b4713fc454

Mestre em Sociologia – Universidade de Paris I (Pantheon-Sorbonne) (1979); Doutor em Sociologia – Universite de Paris I (Pantheon-Sorbonne) (1980 e 1991); Pós-doutor na Universidade de Paris-Nanterre (2001); Professor Titular de Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Professor e Pesquisador dos Programas de Pós-Graduação em Sociologia e Saúde Coletiva da UFPE; Professor Visitante da Universidade Federal do Ceará (UFC), Bolsista de Produtividade 1B do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Integra desde 2017 o Comitê de Assessoramento da área de Ciências Sociais-Sociologia do CNPq; Presidente da Associação Latino-Americana de Sociologia (ALAS) (2011-2013); Vice-Presidente da Associação Movimento Anti-Utilitarista nas Ciências Sociais (MAUSS) (2009-2012); Coordenador do NUCEM (Núcleo de Cidadania e Processos de Mudança (UFPE). Na sua atividade intelectual busca articular de forma interdisciplinar os estudos sobre a dádiva, buscando dialógo permanente com a antropologia, com a política e com a psicologia; seus estudos em Teoria Social, Sociologia da Saúde e Sociologia do Poder revelam frequentemente os seguintes indicadores: dádiva, cidadania, democracia, solidariedade, políticas públicas, redes sociais, saúde e cultura.

Ricardo Jardim Andrade

R.Jardim

Professor Titular do Departamento de Filosofia da UFRJ. Obteve o título de Mestre em Filosofia pela UFRJ e o de Doutor em Filosofia pela Universidade de Montpellier III. Realizou de 2004 a 2005 um estágio pós-doutoral na Universidade Paris-Sorbonne (Paris IV), sob a supervisão do professor Alain Renaut, que o inseriu na equipe “Rationalités Contemporaines” da Sorbonne. Na sua dissertação de mestrado, estuda as relações entre psicanálise e hermenêutica. Depois de expor e analisar o discurso freudiano (tomo I), discute a leitura e a interpretação filosófica propostas por Paul Ricoeur a este discurso, tendo em vista a renovação do conceito de existência (tomo II). Sua tese de Doutorado, orientada pelo Professor Emérito Franck Tinland, mereceu da banca examinadora a menção “très honorable”. Ela discute a questão do sujeito no estruturalismo linguístico e antropológico, à luz da fenomenologia de Edmund Husserl e da hermenêutica de Paul Ricoeur. Dedica-se, atualmente, com o apoio de vários professores de renome, como Sylvie Mesure do CNRS (tradutora e comentarista de Dilthey), Christian Berner de Lille III (tradutor e comentador de Schleiermacher), além do citado Alain Renaut de Paris IV, à implementação de uma pesquisa, cujo objetivo é revelar uma notável convergência metodológica e epistemológica entre as fontes do estruturalismo (F. de Saussure, R. Jakobson e Cl. Lévi-Strauss) e as fontes da hermenêutica (F.D.E. Schleiermacher e W. Dilthey). Sua tese de doutorado, publicada na França inicialmente pelo Atelier National de Reproduction de Thèses (ANRT, 2000), foi recentemente aceita para publicação pela editora Harmattan (coleção Ouverture Philosophique). É também desde 2015, membro titular da Academia Fides et Ratio. 

 

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: